terça-feira, 8 de novembro de 2011

Quarta ponte em Florianópolis

Concordo totalmente que uma ponte a mais não resolve o problema e desvia o foco dos problemas de trânsito interno. As SCs têm que ser alargadas (paciência, a desapropriação é necessária), calçadas construidas, transporte público muuuuuuito melhorado (o atual é caótico, irracional, caro, ônibus velhos, sem ar condicionado, mal distribuidos e com horários de matar qualquer cristão). A prefeitura tem que coibir as ruas estreitinhas, 90% das vias aqui são servidões estreitas e compridas, que talvez estivessem bem na Ilha dos Açores nos séculos passados, mas não mais nesta ilha que é capital de um estado, balneário turístico e área de preservação no século XXI cheio de carros, turistas, etc. O tempo não vai voltar atrás, não teremos menos carros, não adianta espernear. Isto não será mais o que foi nos anos 60, desculpem-me os saudosistas. Aconteceu em todos os lugares. O que temos que fazer é nos unir para frear que continuem a destruir, e melhorar a vida da população. Muito pouca gente vai se mudar de Florianópolis por causa do trânsito, acreditem. E muita gente vai continuar vindo para cá. Então, o governo tem que enfrentar a real! Tem que tomar providências para melhorar a vida da população. Claro que ajudar a fluir entrada e saída, depois, será necessário.  Facilitar a entrada e saída, sem facilitar a mobilidade interna é uma idiotice. A via expressa tem que  ser alargada, a faixa que cruza a grande Florianópolis da BR-101 tem que ser alargada. Mas isso é um movimento para depois.

Um comentário:

  1. curti teu blog, voltarei mais vezes :)
    http://garotadistraida.wordpress.com

    ResponderExcluir